Realizando um sonho - Sete dias em Tóquio - parte 1

Realizando um sonho – Sete dias em Tóquio – dicas

Lá pelos meus dez anos de idade, eu frequentava muito a casa de uma tia minha que era casada com um japonês. Ele era (acredito que ainda seja) uma pessoa muito legal, uma paciência excepcional com crianças e um sotaque que para mim, que nunca tive contato com japoneses antes dele bem fofinho.

Foi ele que me ensinou a comer com Hashi, me mostrou músicas e livros do Japão entre outras curiosidades da cultura. Eu achava incrível tudo aquilo e ficava sonhando em como deveria ser morar naquela ilha com um povo que pensa de um jeito completamente diferente do que estava acostumada.

Essa curiosidade se tornou um desejo de conhecer o Japão, mais precisamente Tóquio

Dezoito anos depois, eu finalmente tive a chance de realizar esse sonho e fiz minha primeira viagem para a terra do sol nascente. E espero que não seja a última!

Edo Tokyo Museum - tóquio - http://abahnao.com

Confesso que não sou muito de planejar roteiros. Eu chego ando, ando e ando, olho tudo e todos porque, acho mais legal descobrir as coisas do que ir só nos passeios típicos de todo turista.

Mesmo assim, eu fiquei apreensiva porque, era a primeira vez que eu ia para um lugar que não entendo nada da língua e que a regras de etiqueta são tão diferentes. Por isso, dei uma pesquisada em blogs.

Montei um roteiro de como sair do aeroporto e ir para o hotel, quanto eu ia gastar com transporte para fazer esse caminho e uma lista dos pontos turísticos que eu precisava obrigatoriamente ver.

Já que na internet eu achei muito texto desatualizado, antes de contar como foi o passeio eu vou fazer uma lista de coisas que você precisa saber antes de pisar em Tóquio:

1. Dá pra usar WiFi de graça em todos os pontos turísticos da cidade, em todas as estações de trem e metrô, nas principais avenidas, nos aeroportos e em quase todos os hotéis. Vi muito blogueiro dizendo que não tem WiFi e acho que eles é que não conseguiram entender o “esquema” japonês. Assim que você chega no aeroporto, a primeira coisa a fazer é baixar um app que se chama Japan Connected-free Wi-Fi.

Você faz um cadastro rápido ou coloca o seu login do Facebook e pronto! Como a maioria dos sinais de WiFi pedem um cadastro, esse app faz automaticamente o trabalho todo para você, até porque grande parte desses cadastros não tem tradução para outras línguas.

Além disso, ele te mostra um mapa parecido com o google maps, te dá dica de passeios, tradução de palavras, etc. É muito útil mesmo e serve para Android e IOS.

2.  Ter um guia de pontos turísticos e um mapa também é fundamental. Nem sempre as coisas são assim fáceis de achar. A Tati Sato do Trotamundos que também é uma apaixonada pelo Japão – e foi pra lá um tempinho antes de mim – me indicou esse app aqui: Guide with me. Me ajudou muito, valeu Tati <3

3. Se informar sobre a etiqueta. Nós ocidentais estamos sujeitos a cometer gafes, não tem jeito. No começo eu ficava bem preocupada, mas no final eu desencanei porque, nunca sabia se estava fazendo certo rs. Muita coisa os japoneses relevam porém, algumas situações podem ofender e aí não é nada legal. Eles tratam os turistas com muita educação em 99% dos locais então, não custa nada fazer um esforcinho para retribuir a paciência que eles tem com a gente.

Por exemplo, não saia dando tapinha nas costas de alguém que foi legal com você. Na primeira vez que meu marido fez isso, era com um cara bem jovem e ele deu um sorrisão porque, ele era mochileiro, sabia que isso é comum por aqui. Na segunda vez, a outra pessoa ficou completamente sem graça e sem saber o que fazer aí, aprendemos que é melhor não ser tão expansivo…rs. 

4. Não dê gorjetas em restaurantes e afins. Nós estávamos nos sentindo muito mal de não dar nada para os garçons depois de sermos tão bem recebidos, mas a única vez que fizemos isso o cara não entendeu o motivo e ficou olhando assustado. Depois eu li que alguns se sentem até ofendidos se você dá dinheiro então, apenas agradeça falando Arigatô e um lindo sorriso e já está ótimo.

café paulista ginza Tóquio - http://abahnao.com

Também não brinque com o Hashi. A hora da refeição é algo importante na cultura e espetar o hashi na comida ou apontar para objetos e pessoas com ele é um ato tenebroso. Não se brinca com comida e de preferência, coma tudo. Se você não comer a comida toda, para eles é um sinal de que não estava tão boa assim.

Também não coloque a bolsa em cima da mesa. Eles acham isso uma porquice. Muitos restaurantes e bares tem um cesto embaixo da mesa para colocar a bolsa. Já ví vários Gaijin usando de lixo, mas na verdade é para você guardar suas coisas. 😀

5. É bom andar com uma sacolinha para guardar seu lixo. Não existe – ou pelo menos eu nunca achei – lixos na rua. Era um caos para jogar fora embalagens e as ruas são tão limpinhas que você não vai querer ser o primeiro a sujar, né?

6. O metrô é um ótimo meio de transporte. Algumas estações são enormes por isso, é bom se informar nas placas, dentro dele mesmo, em qual saída você precisa ir. Na estação mais próxima do palácio do Imperador por exemplo, eu precisei uns dez minutos andando só para chegar na minha saída. Eram mais de 30 opções. 

metrô Tóquio - Japão - http://abahnao.com

Ainda no tema metrô: existem dois cartões pré-pagos que você pode usar para pagar a passagem e que te dão 20% de desconto na tarifa. 

Além disso, você pode usar esse cartão em quase todas as máquinas de bebidas e lanchinhos espalhadas pela cidade (são muitas) e em alguns restaurantes e lojas de conveniência. Como a tarifa é calculada por quilômetros, eu achei esse o jeito mais simples de passear sem ter que ficar calculando toda hora. Um cartão se chama Pasmo e o outro Suica. 

Pasmo card - Tóquio - Japão - http://abahnao.com

Os dois funcionam exatamente da mesma forma. Você pode comprar o cartão nas máquinas de venda de ticket. As que vendem o Pasmo as vezes são pintadas de rosa. Você vai pagar um depósito de 500 yens para pegar o cartão e tem que depositar no mínimo 1000 yens. No final da sua viagem é só ir num balcão de atendimento do metrô e falar que quer devolver o cartão. Eles te dão o depósito e saldo em dinheiro.

Acho que essas são as principais dicas que eu posso dar. No próximo texto eu conto mais sobre Tóquio.

Beijo, outro, tchau.

2 comments on “Realizando um sonho – Sete dias em Tóquio – dicasAdd yours →

  1. Sua fofa! <3 Que essa não tenha sido nem a minha nem s sua única viagem à terra do sol nascente! Não consegui que o tal Japan Connected funcionasse comigo, mas foi legal tirar um time off da Internet! Tenho que sentar minha bunda na cadeira e escrever agora !Hehehe! Beijos beijos

Comentar